quarta-feira, 13 de maio de 2009

Ditadura Militar x Estado Novo

Ditadura Militar

A ditadura militar foi o período em que o Brasil foi governado por militares. Esses censuravam a imprensa e repreendiam os que eram contra o regime militar e havia perseguição política.

O golpe militar de 1964

Após a renúncia de Jânio Quadros, João Goulart assume o governo. Nessa época uma crise política se alastrava pelo país, Várias organizações sociais foram criadas, e elas ganharam destaque provocando preocupações nas classes conservadoras. Essas temiam que o Brasil se tornasse comunista. Neste período estava acontecendo a Guerra Fria.
Em 13 de março João Goulart realizou um comício no Rio de Janeiro onde prometeu mudanças radicais na estrutura agrária, econômica e educacional do país. Após alguns dias os conservadores se manifestaram contra as intenções de João. A cada dia as tensões sociais aumentavam chegando ao ponto de tropas de Minas Gerais e São Paulo saírem às ruas. Evitando uma guerra civil, Jango deixou o país, refugiando- se no Uruguai. Os militares voltaram ao poder e estabeleceram o AI-1, que dava direitos ao governo de cassar mandatos, suspender direitos políticos, determinar eleições indiretas para Presidência da República, entre outros.
O militarismo estava no poder. O governo de Camilo Castelo Branco (1964-1967); Costa e Silva (1967-1969), futuramente substituído pela Junta Militar (31/08/1969-30/10/1969) e Médici (1969-1974) foram marcados por diversas perseguições. A oposição se manifestava, mas não obtinham êxito. Já no governo de Geisel (1974-1979) e Figueiredo (1979-1985) a esquerda começa a se destacar acelerando o processo de redemocratização.

Estado Novo
O fracasso do modelo econômico militar ficou evidente no governo de Figueiredo. Várias classes sociais, como a dos estudantes e sindicatos de trabalhadores reivindicaram o fim da ditadura militar e com o impulso da oposição realizaram a campanha pelas diretas. Nas ruas e praças multidões reunidas em grandes comícios exigiam Diretas-já!
É necessário ressaltar que nesse período o Brasil passava por crises econômicas, uma grande divida externa devido a empréstimos feitos durante o período da ditadura.
O governo de José Sarney (1985-1990), foi feito o Plano Cruzado (criado para combater a inflação), tomando medidas como: congelamento dos preços, extensão do cruzeiro e criação de uma nova moeda (Cruzado). Além disso foi criada a Constituição Federal (1988) que tinha como principal objetivo reger a democratização e a cidadania.
Ao final de uma agitada campanha eleitoral, Fernando Collor derrota Luiz Inácio Lula da Silva. Collor cria um plano econômico violento, ele bloqueou contas e aplicações financeiras com o objetivo de controlar a hiperinflação. De inicio há um controle inflacionário, mais logo depois ela volta a crescer e o governo foi perdendo credibilidade. Pela revolta popular em relação ao governo de Collor, ele foi impedido de exercer a função de presidente da República e no dia 22 de outubro de 1992 Itamar Franco (vice de Collor) assume o governo.
I tamar Franco (1992-1994) em meio à inflação cria o Plano Real, entrou em vigor no país uma nova moeda, o Real. O plano foi apoiado por uma grande parcela da população, tendo como resultado uma diminuição na inflação no país.
No governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) a inflação finalmente havia sido controlada pela política do Plano Real. Alem disso esse governo privatizou empresas e abriu o comércio do país. Fernando Henrique teve dois mandatos, no seu segundo mandato atravessou uma grave crise de fornecimento de energia, devido a isso a população teve que diminuir o consumo dela, causando uma diminuição da popularidade do presidente essa situação foi acompanhada pelo retorno da inflação e o desemprego, porque as empresas estavam investindo pouco dinheiro.
Com o descontentamento do governo de Fernando Henrique, Lula se torna presidente do Brasil após três tentativas. Apesar das pressões dos diversos setores tem agido com cautela. Somente entendendo a cidadania para a maioria dos brasileiros, melhorando o padrão de vida dos mais pobres, o governo Lula terá realizado uma administração diferente da de seus antecessores.

Ditadura Militar x Estado Novo

O período da Ditadura Militar no Brasil foi marcado por uma serie de conflitos. A conquista da redemocratização mostrou o quanto vale o poder da população unida por um objetivo.
Dois lados diferentes, Ditadura Militar e Estado Novo. Objetivos diferentes, o autoritarismo e a democratização.
A existência da Ditadura Militar, a repressão imposta por ela fez com que a população se movesse instalando o Estado Novo. No inicio do século XXI uma palavra sintetizava as aspirações dos brasileiros por uma vida digna: a cidadania.

4 comentários:

  1. O Estado Novo, não foi aquele que Getúlio Vargas criou ??

    ResponderExcluir
  2. Meu professor afirma que o Estado Novo não foi uma Ditadura militar mas apenas ditadura, ele está certo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um regime militar sob capa civil, como abordado por Anita Leocadia Prestes, baseada em Antonio Gramsci.

      "Um movimento político pode ser de caráter abertamente militar, mesmo se o exército como tal não participa abertamente dele; um governo pode ser de caráter militar, mesmo se o exército não participa dele. Em determinadas situações pode-se dar a conveniência de não ‘descobrir’ o exército, de não fazê-lo sair da constitucionalidade, de não levar a política aos quartéis, como se diz, para manter a homogeneidade entre oficiais e soldados num terreno de aparente neutralidade e superioridade sobre as facções; porém, é o exército, isto é, o Estado-Maior e a oficialidade, quem determina a nova situação e a domina".(Gramsci)


      Sobre o tema, este texto pode ser interessante:

      http://www.ilcp.org.br/prestes/index.php?option=com_content&view=article&id=210:era-vargas-autoritarismo-e-repressao-1930-1945&catid=18:artigos&Itemid=140

      Excluir